O Que Os Profissionais Brasileiros Esperam das Empresas?

Cada geração de profissionais que ingressa no mercado de trabalho influencia o perfil das exigências em relação à importância dos atrativos e benefícios oferecidos pelas empresas. Há poucas décadas atrás, estabilidade, perspectiva de carreira com dedicação à empresa – “vestir a camisa” – e plano de aposentadoria ilustravam as preferências dos profissionais da época.

Realizamos uma pesquisa recente com grupo de 19 clientes – idade entre 19 e 52 anos – sobre suas expectativas profissionais quanto à proposta de contratação das empresas (Núcleo Coaching de Carreira – www.waleskafarias.com) e obtivemos como resultado as seguintes posições: desenvolvimento de um plano de carreira enquanto legado profissional, harmonia no ambiente de trabalho, boa interação com a equipe, proposta de benefícios, flexibilidade de horário e a possibilidade de acesso às redes sociais.

Convergente ao resultado do trabalho – matéria da Infomoney de13/05/2010 – por Camila Mendonça – estudo realizado pela Robert Half com executivos de 13 países, dentre eles o Brasil, aponta o que é relevante para os profissionais brasileiros em escala de prioridade: Aumento salarial na 1ª. posição com 56% dos votos. Já dentre as empresas, esse item não é tão importante, ficando em sétimo lugar na lista de prioridades, citado apenas por 19% das empresas brasileiras pesquisadas, onde conforme o estudo, mais vale manter os profissionais estimulados e garantir a qualificação deles que pagar bem.

O item benefícios extras assume 2ª. colocação com 50% dos votos. Treinamento é importante para 40% dos brasileiros entrevistados. Horário flexível é importante para 43% dos brasileiros ouvidos. Trabalhar em casa, também, é fator considerado por 37% dos entrevistados, enquanto que em países como a França e a Bélgica, esse índice fica abaixo dos 20%.

Quanto à utilização de redes sociais pelos executivos brasileiros, segundo matéria veiculada pela Você RH 19/05/2010 – estudo feito pela mesma consultoria com 375 executivos, mais de 90% dos profissionais de média e alta gerência usam redes sociais como ferramenta de trabalho e de contato com amigos e conhecidos. 46% dos entrevistados usam redes como Twitter, LinkedIn, Orkut e Facebook para relacionamento pessoal, enquanto 44% têm contato com esses meios digitais com fins profissionais.

Segundo o estudo, apesar da importância cada vez maior das redes sociais para os profissionais, as empresas em que trabalham ainda não possuem perfis nessas plataformas. A pesquisa mostra que apenas 20% das empresas onde os entrevistados atuam têm páginas em meios de relacionamento digital.

É possível que os dados apurados justifiquem, em parte, a crescente busca dos profissionais por oportunidades de trabalho como autônomos, através da criação de alianças e parcerias entre pessoas físicas e jurídicas que possibilitem uma melhor qualidade de vida e satisfação pessoal.

Dada a rapidez com que evoluem os processos no cenário das contratações profissionais no mercado de trabalho, é fundamental que haja um maior empenho das partes envolvidas no intuito de preservar as relações de trabalho e melhor integrar os interesses quando dos acordos entre empresas e profissionais.

Waleska Farias

Waleska Farias
Consultora de carreira e imagem


TREINAMENTOS RELACIONADOS


QUAL A SUA
NECESSIDADE?