Estresse, Maus Hábitos e a Degradação das Relações de Trabalho

“A maior arma contra o estresse é a habilidade de escolher um pensamento ao invés de outro.” 
William James

O estresse é um dos principais responsáveis pela deterioração das relações de trabalho e, hoje, configura um grave problema que as empresas estão tendo que enfrentar. Pela incidência com que os sintomas do estresse se apresentam no ambiente de trabalho já foi convencionado como uma epidemia do século XXI. Segundo estudo realizado pela Regus 58% das empresas teve um aumento significativo de estresse ocupacional nos últimos dois anos.

Os quadros de estresse manifestam-se de modo muito particular nos profissionais que vivenciam momentos de grande pressão na determinação de produzir cada vez mais em menor espaço de tempo. Nesse contexto, é crucial que cada um tenha consciência do seu limite físico e mental, com base no conhecimento que deve ter de si mesmo, e saiba estabelecer suas prioridades, revendo, sempre, seu ritmo de trabalho para que sua saúde e desempenho não sejam comprometidos.

É crescente o número de profissionais que recorrem ao suporte do coaching no intuito de estar mais bem preparados para lidar com fatores estressantes como medo da perda de emprego, carga excessiva de trabalho, ritmo acelerado de entrega, cobrança acirrada, conflito de interesses, falta de foco e autonomia na conquista de objetivos, ausência de suporte das lideranças e até mesmo assédio moral.

Os líderes, enquanto representantes das empresas, devem estar atentos aos riscos de manter seus colaboradores em estado constante de pressão. È necessário minimizar os impactos das demandas em excesso e ajudar na manutenção do equilíbrio e motivação necessária à saúde do clima organizacional. O modelo “pressão em cascata” pode até trazer o resultado no curto prazo, mas não garante a longevidade do processo. O estresse além de não garantir um desempenho saudável, ao longo do tempo, compromete a força de realização nas células de trabalho.

Profissionais felizes são mais saudáveis e, por consequência, mais produtivos. Zelar pela qualidade de vida é promover a sustentabilidade das relações de trabalho nas empresas. Em convergência a esse movimento, o conceito de qualidade de vida contrapõe-se ao mecanismo do estresse e alia-se ao propósito das condições humanas, conquistando espaço na luta contra os excessos praticados.

Um exemplo claro dessa iniciativa é a proposta da consultoria Great Place to Work® que tem como objetivo ajudar as organizações a compreender as características, práticas e atitudes que promovem a excelência do clima nos locais de trabalho, através dos conceitos de credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho de pertencer e camaradagem interpessoal.

“Quando as empresas se tornam excelentes, a divisão entre administração e trabalho desaparece. O ambiente se torna uma comunidade. Os funcionários têm orgulho do que fazem, de sua equipe e de sua empresa. Eles sentem que podem ser eles mesmos e celebram o sucesso de seus acionistas e funcionários na organização, sentindo prazer, de forma profunda e duradoura, em realizar seu trabalho” (Great Place to Work®).”

Tanto as empresas como os profissionais devem estar conscientes da importância de desenvolver condições favoráveis a uma melhor qualidade de vida, atuando em parceria na lutam contra o estresse e em favor da saúde física, mental e emocional de todos para que a qualidade de vida passe de conceito emblemático a um bem comum.

Investimentos na efetivação de objetivos colaborativos e ações integradoras permitem alinhar a satisfação pessoal dos profissionais à melhoria da produtividade e qualidade dos resultados nas organizações. Àqueles que desejam otimizar suas relações de trabalho devem rever seus posicionamentos e construir novos hábitos que auxiliem no combate ao estresse.

Praticar esportes, dispor de tempo com amigos e família, construir boas relações no trabalho, dormir o necessário para repor as energias, ter uma boa alimentação, alinhar compromissos pessoais e profissionais, ter claros seus objetivos em linha com os da empresa e tentar manter sempre uma perspectiva positiva sobre o que estar por vir. Assumir uma atitude pessoal de fazer o que gosta e gostar do que faz. Ser feliz por incluir-se como prioridade na sua própria vida.

A forma como os acontecimentos diários são encarados desencadeia reações emocionais positivas ou negativas, as quais responderão pelo sucesso ou fracasso das suas iniciativas.  Pensar bem é um grande diferencial e ajuda a diminuir as tensões nas relações de trabalho. Seus pensamentos constroem sua realidade. A decisão, portanto, é sempre sua.

Estamos juntos!

Waleska Farias

Waleska Farias
Consultora de carreira e imagem


TREINAMENTOS RELACIONADOS


QUAL A SUA
NECESSIDADE?